Pular para o conteúdo principal

A importância de escrever bem para o marketing pessoal




Quando se apresenta para um cliente, você se certifica de ter passado desodorante, escovado os dentes e penteado o cabelo? Nos negócios, ninguém quer parecer desleixado diante do público. Mas uma boa impressão vai além da aparência. A maneira como você se comunica também conta para o seu marketing pessoal. Por isso, textos bem-escritos são importantes para fortalecer a sua imagem.


A neurociência sustenta a necessidade de escrever bem para o marketing pessoal. Nossa memória funciona por meio de associação, então só de vermos duas ideias juntas, já a relacionamos. Isso explica porque nos lembramos, por exemplo, de pão de queijo, quando conversamos com um mineiro. Ou um gringo logo fala em futebol ao conhecer um brasileiro.

Há usos exagerados dessa estratégia, como políticos abraçando bebês para demonstrarem como são sensíveis. Todavia, há maneiras refinadas de empregá-la, como a Coca-Cola, que sempre se mostra em momentos cotidianos agradáveis para os associarmos a ela. Jogos de corrida que marcaram nossa infância e adolescência, como o Need For Speed Underground 2, não mostram estragos no carro após uma batida, porque as montadoras não querem que vejamos e pilotemos os carros delas amassados ou em más condições. Pelo contrário, eles se mostram potentes e indestrutíveis!



Somada a essa natureza associativa da memória, tem o que chamam de heurística: atalhos que o cérebro usa para tomar decisões.

Isso significa que um cliente, chefe ou colega de trabalho, ao ver erros crassos de português, ideias ambíguas e textos sem coesão e coerência, tende a encarar o autor como pouco profissional e já considerar alternativas a ele. A verdade é que escolhemos o produto pela embalagem – e nela há textos escritos.

Duvido que você ficaria bem ao notar um erro de português no seu cartão de visitas ou panfleto. É porque você sabe que deslizes gramaticais mostram amadorismo e prejudicam seu marketing pessoal, mesmo que sua área de atuação nada tenha a ver com língua portuguesa.

Quantas vezes recebi pedidos de revisão para textos aparentemente sem importância: e-mails para um ou dois destinatários, convites para reunião e comunicados internos para poucos funcionários... Mas que o autor sabia que os destinatários poderiam enxergá-lo mal se houvesse erros ortográficos e gramaticais.
Ora, se ele não sabe escrever bem, como vai ter credibilidade?
Embora esse julgamento nem sempre seja justo, ele acontece, e é uma boa estratégia de marketing pessoal evitá-lo ao máximo.

A má escrita é tão julgada, que até em discussões sobre qualquer assunto, os erros ortográficos e gramaticais do adversário são alvo de acusações para desqualificá-lo, ainda que o argumento dele seja forte. Querendo ou não, percebemos negativamente quem escreve mal.


Sendo assim, baseado nesses mecanismos naturais do cérebro, a impressão que o texto passa é mesmo importante para o marketing pessoal, por isso todo cuidado na escrita é pouco. O fato é que boa parte das vezes, o contato do público com você ou sua empresa será por meio de textos. Quem não pesquisa uma empresa ou produto na internet antes de comprar?

Então, vale a pena aprender a escrever bem e, quando for o caso, confiar em um profissional da área a produção e edição de textos do seu negócio. É o seu marketing pessoal que está em jogo!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog