Pular para o conteúdo principal

Dragon Ball: lições do Goku para nossa vida profissional




Para jovens da geração Y, nascidos nos anos 80 e 90, os animes embalaram a infância. Eu mesmo assisto até hoje!Os desenhos japoneses ensinam valiosas lições que vão além das clássicas noções de certo e errado ou bem e mal. 

A sabedoria dos animes combate nossa ansiedade e nos inspira a buscar o melhor em todos os campos de nossa vida, sobretudo na profissional.

Talvez, na infância ou adolescência, deixamos passar certas mensagens trazidas por personagens clássicos, como Goku, do Dragon Ball, Kenshin, do Samurai X, e Naruto.

Amor pelo o que faz, disciplina e esforço são apenas algumas das virtudes seguidas por esses e outros tantos heróis dos animes.

Goku, o mais famoso, aplica nos combates dele lições valiosas para nossas vidas profissional e pessoal. O menino macaco vindo do planeta Vegeta não diz nada verbalmente, ensina por meio de ações. É só observar.

De início, Goku adora desafios que o tiram da zona de conforto. Também fica emocionado quando conhece alguém mais forte que ele, e logo busca aprender com esses seres. Sempre que perde uma luta, não fica remoendo. Ele reconhece a derrota e busca um treinamento novo para se fortalecer.

Nosso herói é tão apaixonado pelo o que faz, que acredita na sua própria habilidade adquirida com esforço e disciplina. Ele não trapaceia nem passa por cima dos outros para chegar aonde quer.

A humildade e amor dele são tão grandes que contagiam mesmo seus inimigos, que acabam se tornando amigos – vide Yamcha, Tenshinhan, Chaos, Piccolo, Vegeta, Majin Boo, entre outros.

Até a meditar o menino macaco aprendeu, quando o domínio da mente se fez necessário para derrotar o vilão mais poderoso até então (o Piccolo Daimaoh). E mesmo encarando situações adversas, Goku não enxerga como problema. Ele se anima, afinal, é mais uma oportunidade de se superar.

O sonho de Goku é se tornar o mais forte do universo, porém o que o inspira não é a vaidade. A maior inspiração de Goku é ajudar os outros. É pela vontade de servir aos mais fracos que o personagem passa por todos os obstáculos.

No livro “O monge e o executivo”, de James C. Hunter, apresentam-se princípios que formam um bom líder. Goku segue todos eles:

  • Paciência: mantém a postura e o autocontrole.
  • Bondade: dá atenção às necessidades dos outros.
  • Humildade: não age com orgulho ou arrogância.
  • Respeito: trata todos como se fossem importantes.
  • Abnegação: satisfaz as necessidades dos outros.
  • Perdão: desiste do ressentimento e até vira amigo dos adversários.
  • Honestidade: não trapaceia para vencer.
  • Compromisso: cumpre as promessas.
Em nosso cotidiano, não encontramos supervilões para combater em lutas de kung fu. Mas o estilo de Goku ainda cabe perfeitamente a nós.

Na vida, não temos um Mestre Kame, mas conhecemos pessoas extraordinárias, com quem podemos aprender e ensinar muito. Também não saímos por aí atrás das Esferas do Dragão, mas percorremos uma jornada profissional cheia de desafios que obrigam a gente a se superar.

Salvamos os fracos e oprimidos com um bastão mágico? Não. No entanto, servimos aos outros e tornamos um mundo um lugar melhor por meio do nosso trabalho e ações cotidianas.

Não vamos apanhar do Tao Pai Pai nem nos fortalecer com o Mestre Karim para retomar a luta. Porém, toparemos com funções que não dominamos e realizaremos cursos (ou aprenderemos na marra mesmo) para aperfeiçoar nossas técnicas.

Provavelmente não seremos o mais forte do mundo na força física. Por outro lado, temos nossos sonhos e podemos alcançá-los nos entregando e crescendo por mérito próprio, sem sacanear ninguém.


O menino Goku merece ser mais do que nosso ídolo de infância. Ele cabe como inspiração diária para sermos pessoas melhores, no trabalho e na vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog