Pular para o conteúdo principal

Coesão e coerência: como escrever com clareza e objetividade


Vamos esculpir um texto claro e objetivo a partir de um bloco de ideias expressadas no papel. Acompanhe estas dicas para um texto coeso e coerente!

Pense antes de agir

Escrever com clareza é, antes de tudo, pensar com clareza. Por isso, antes de colocar as palavras no papel (ou na tela), é ideal ter em mente o que quer dizer.  Você quer informar o cliente sobre uma interrupção nos serviços? Convidar alguém para uma reunião? Apresentar os seus serviços?
Responder a uma pergunta inicial é o primeiro passo para redigir com coesão e coerência.

Acerte na gramática usando a intuição 

Preste atenção às conjunções. Se a sua intenção é opor ideias nas frases ou parágrafos, use: “mas, porém, no entanto”. Se é justificar: “pois, porque”. Para concluir: “portanto, por isso”.
A lista é grande, e embora pareça uma regra de português chata, trate-se de uma ótima ferramenta de coesão para escrever com clareza.

Usar conjunções fora de hora dificulta o entendimento do texto. O exemplo mais comum é a “mas”, aplicada indiscriminadamente por aí. Passe a observar a partir de agora.

Cuidado com as locuções

Locuções verbais aumentam o texto e enfraquecem o verbo, por isso, use em casos específicos. 

"Pode fazer" só é adequado quando realmente se trata de uma possibilidade. 

O "para que possa escrever" é grande demais, melhor: "para que escreva". 

"Tentar escrever" expressa hesitação, por isso o mestre Yoda sabiamente disse “faça ou não faça; não existe tentativa”.

Melhor que “dar sugestão”, é “sugerir”, por isso sugiro que siga essas dicas!

Escolha o verbo exato para cada ação

"Foi até a casa" poderia ser "dirigiu até a casa", "caminhou até a casa", “viajou até a casa”. Além de tornar a leitura mais interessante, o texto fica mais preciso, claro e objetivo. 
A ideia de evitar locuções verbais segue essa mesma lógica de exatidão do verbo. Então adote essa prática para garantir a coerência do texto.

Diga sim aos sinônimos

Para evitar repetições que tornam o texto cansativo e, às vezes, incompreensível, use sinônimos ou expressões que remetam à primeira palavra empregada. Exemplo: China, país, potência asiática. 
Alguns autores usam repetições como recurso de estilo, o que é comum na literatura: músicas, poesias, contos, etc. No meio corporativo também é possível embelezar o texto de vez em quando, todavia, melhor priorizar a clareza e objetividade por ora.

Faça como um escultor

Primeiro, escreva tudo o que vier à cabeça. Esse é o segredo para evitar bloqueios. Dar vazão às suas ideias sem se preocupar com a forma inicial do texto é o melhor caminho para fluir na escrita. 

Quantas vezes não escreveu nada porque ficou sem saber quais palavras usar?

Paradoxalmente, uma boa maneira para escrever com clareza é começar ignorando algumas práticas de coesão e coerência. Só as aplique para organizar o texto depois de ter “colocado para fora” as suas ideias.

Considere-se um escultor, que pega o bloco inteiro e vai quebrando aos poucos até a forma final. Seu texto inicial será uma grande pedra de palavras a se lapidar até a versão definitiva.


Tem outras dicas de clareza textual? Vícios? Achou este texto útil? Conte nos comentários!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog